Notícia

Acadêmicos de Engenharia Ambiental da Uniuv visitam empresa Hobi

13/05/2009



Os acadêmicos do quinto semestre do curso de Engenharia Ambiental, do Centro Universitário de União da Vitória (Uniuv), fizeram uma visita técnica, acompanhados do professor Fioravante Iran Wolff, à empresa Hobi, no dia 30 de abril, com o intuito de conhecer as atividades práticas que estão relacionadas à disciplina de Geologia. Durante a visita, eles conheceram as cavas a céu aberto, localizadas no Distrito Industrial de Porto União, SC, de onde é feita a extração da areia, material amplamente utilizado nas atividades de engenharia, como obras de aterros, produção de argamassas e concretos.
A empresa Hobi trabalha com extração e comércio de areia, mineradora, cerâmica e concreto. A visita foi direcionada à parte de extração de areia e dos produtos cerâmicos, além do parque ecológico localizado na sede da empresa.
Além de analisar o ambiente no aspecto geológico, identificando as camadas de solos e os tipos de rochas presentes no local, os acadêmicos estavam atentos ao aspecto da recuperação ambiental, que diz respeito à recomposição da área degradada. Para isso, depois de esgotada a areia, é feita a reposição do material restante para dentro das cavas e, posteriormente, a reintrodução da vegetação. Com isso, reduz-se o impacto ambiental causado pela e extração deste recurso natural.
Para a acadêmica Fernanda Cheiko, “a visita foi de caráter significativo para nós graduandos de engenharia ambiental, pois além de conhecermos as técnicas utilizadas na extração de areia e argila, definindo os aspectos geológicos, pudemos observar o trabalho realizado para preservação do ambiente degradado, por meio de técnicas que resgatam o ecossistema do local”.
A respeito dos produtos cerâmicos, são produzidos tijolos e lajotas de cerâmica vermelha que passam por um processo produtivo altamente desenvolvido, o que define um padrão de qualidade elevado para estes produtos.
Primeiramente, a argila é depositada em local aberto e, em seguida, é transportada por equipamentos até uma máquina a vácuo, que define a forma do produto, conforme o desejado. A próxima etapa é a secagem em estufa, aquecida pela fumaça e o excesso de calor gerado pelas fornalhas. Esta fumaça é absorvida pelos próprios tijolos e lajotas durante a secagem, que funciona como se fosse um filtro natural. Na sequência, é feita a queima em fornalhas, cujo combustível usado é uma mistura de casca de arroz, serragem e casca de pinus, constituindo um combustível alternativo pelo qual a empresa optou. Depois da queima, os produtos são estocados em um local onde serão classificados e posteriormente transportados e vendidos.
Além de contribuir para o desenvolvimento econômico da região, a empresa Hobi também mostra através das suas atividades a preocupação com a preservação ambiental. Os acadêmicos de Engenharia Ambiental conheceram durante a visita o Parque Ecológico da empresa, que representa a recuperação de uma área degradada por mineração, que contém vegetação nativa e exótica e animais silvestres habitando o local. A educação ambiental também é um dos aspectos trabalhados pela empresa, tanto para acadêmicos como para alunos de escolas.
A respeito da importância do desenvolvimento dentro de um contexto de sustentabilidade, a acadêmica Andressa Haiduk afirma que “as empresas estão percebendo que a responsabilidade sócio-ambiental está diretamente ligada com o desempenho financeiro, pois melhoram sua imagem junto ao cliente”.
A responsabilidade ambiental da empresa Hobi em todos os setores que ela trabalha é um dos fatores de destaque que deve ser tomado como exemplo por outras empresas, de forma que o meio ambiente possa apresentar uma redução no impacto ambiental ocasionado pela exploração dos recursos naturais.

* Acadêmica do curso de Engenharia Ambiental.


por: UNIUV