Notícia

Docentes discutem novas formas de avaliação

09/02/2012


A Professora Doutora Marilda Aparecida Behrens (PUC-PR) esteve na Uniuv durante o dia 8 de fevereiro, à tarde e à noite, para conversar com os professores do Coltec e também da graduação. Esta foi a segunda vez que a Professora Marilda desenvolveu um trabalho pedagógico junto ao corpo docente da Uniuv. Ao longo de 2011 ela também acompanhou o curso de capacitação docente do qual participaram mais de 20 novos professores.

No período da tarde a abordagem centrou-se em cima das novas formas de avaliação, entre elas a de construção de portfolios individuais e coletivos, em uma tentativa de promover inovações nos procedimentos metodológicos para medir conteúdos. “A aplicação da prova tradicional estimula o aluno apenas a praticar a ‘decoreba’ e não contribui para uma formação adequada. As avaliações precisam ser sistêmicas e o estudante tem que ser provocado para produzir conhecimento. Nós temos que formar bons alunos, ótimos seres humanos, pessoas responsáveis, e prepara-los para a vida”, propõe Behrens.

Aplicando-se a avaliação por portfolio há como medir os diferentes níveis de aprendizado de cada indivíduo, estimular a competição entre os próprios alunos que podem desenvolver aptidões para a organização, convivência e espírito de equipe.

Durante a noite, a temática principal foi a Organização do Trabalho Pedagógico e junto com os professores da Uniuv participaram os educadores da Universidade Corporativa Pormade (Unicop). Na ocasião a professora Marilda Behrens focou as discussões no papel exercido pelo professor em sala de aula e como os mediadores de conhecimento podem melhorar o relacionamento com aluno, que é muito mais preparado tecnologicamente, hoje, do que no passado.

O papel do professor é fundamental para que exista produção de conhecimento, de modo que é preciso estabelecer um contrato com os estudantes, deixando claras as formas de trabalho, as aplicações, as técnicas e os processos de avaliação, fortalecendo e contribuindo para a credibilidade de cursos, da instituição e também da sociedade. “A escola é a única forma de transformação social”, disse Behrens.

O encontro encerrou com a participação dos professores e reuniões de colegiado.


por: Lúcio Passos